quarta-feira, 28 de outubro de 2015

O cansaço e a paz...

   Há dias assim, dias intermináveis, dias em que a chuva nos leva e parece que não vemos o caminho. Há dias em que o mundo não nos serve, não nos enche as medidas. Há dias em que o cansaço e o desespero imperam. Dias em que nos sentimos vazios...
  Nesses dias o colo do Dono é o melhor lugar do universo. No colo do Dono há sempre calor e conforto. No colo do Dono há a paz que não há em mim...
   Por isso hoje é aqui que adormeço, no colo daquele que é Dono e Senhor da minha alma inquieta. Hoje, aqui, reina o cansaço e a paz...



quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Ver com os olhos da alma...

   Quando conheci o Dono de mim eu era cega. Esta afirmação pode parecer estranha dado que nada havia de errado com a minha visão, mas hoje, depois de ser moldada pelas hábeis mãos do Senhor de mim, eu entendo que não conseguia ver.

   Desde o início a venda sempre esteve presente nas nossas sessões. Era algo imperativo e que me assustava um pouco. Hoje em dia sei que o Dono sorri cada vez que, durante uma sessão, me encontra ainda não vendada e já de olhos fechados. O Dono ensinou-me algo precioso, ensinou-me a sentir. Antes eu procurava apenas ver e isso toldava os meus sentidos, aprisionava-me. Hoje, a cada sentido que me é privado vou mais fundo, sinto mais, entrego-me mais e sou muito mais livre. O Senhor presenteou-me com um universo de sensações e ensinou-me a largar o mundo e deixar-me ir ao sabor de tudo o que Ele desperta em mim. Sabe-me de cor, cada pedaço de mim, cada toque que me excita, cada sensação que me leva para lá de mim, para lá dos meus limites, para aquele lugar maravilhoso onde só eu e o seu toque existimos.

   Quando Ele me acolheu e me aceitou como sua eu era um botão de rosa. Vivia fechada em mim, no inverno que era a minha vida. Não gostava de me olhar, afastava-me da minha imagem que me parecia fria e distante. Aos poucos Ele foi-me levando a desabrochar. Aprendi a sentir e a gostar de mim. Aprendi a abraçar a minha sensualidade e a querer mostrar-me para Ele e para os outros, sendo para Ele motivo de orgulho. É ainda uma luta diária, há monstros que sempre habitam o nosso pensamento, mas a vontade de servir e agradar o meu Senhor é sempre mais forte, é sempre maior. Hoje ainda não sou uma rosa em flor, sei que o Dono tem para mim sempre mais e que o meu maior desejo é oferecer-lhe tudo de mim, mas estou já de pétalas abertas para o mundo. Por Ele sou mais confiante e feliz, por Ele eu sou um mais e melhor eu. Por ele eu sou livre!!!

   Obrigado amado e venerado Dono. A jornada tem sido longa e os caminhos às vezes tortuosos mas não trocava o que vivemos por nada neste mundo. Apesar de tantos pesares estes são os dias mais felizes de toda a minha vida.

Amo-vos Mestre, sempre e para sempre <3

            <3 10 <3




quarta-feira, 19 de agosto de 2015

O regresso...

Bom dia a todos os que amavelmente me seguem.

Sei que tenho estado desaparecida (e tenho sido devidamente castigada por tal), mas a vida não me permitiu estar disponível para partilhar os meus caminhos como quero e gosto.

Sofri uma grande perda, mas ela foi de extrema importância para mim e será aqui falada e lembrada como o grande amor que foi e sempre será.

Enfim, só quero dizer que estarei de volta com muitas novidades e aventuras, espero que gostem.

Cumprimentos e beijinhos a todos :)



segunda-feira, 8 de junho de 2015

2000 :)

  E assim, sem eu esperar, ultrapassamos as 2000 visitas a este me pequeno cantinho. Agradeço mais uma vez a todos os que me visitam e seguem os meus passos. Tenho estado desaparecida mas prometo voltar em força com novos posts e sessões com muito prazer ;)

  Agradeço de todo o meu coração ao amado Dono, sem ele a vida não teria sentido.

  Sempre e para sempre <3



sexta-feira, 8 de maio de 2015

Dúvidas, questões e companhia lda

  Hoje assaltam-me questões e atormentam-me dúvidas. Não sei quem as pode esclarecer e aquietar a minha mente em anarquia.
  Sinto-me sozinha e desprotegida. É tão difícil que o Dono não esteja para me abraçar.
  N' O Principezinho dizia-se que somos responsáveis pelo que cativamos. Será que somos mesmo? Será que neste mundo de individualismo há lugar para cuidar daqueles a quem cativamos o coração. Gostaria de acreditar que sim, mas a minha fé escoa-se como água por entre os dedos, impotentes de a segurar.
  Tenho pressa de partir, quero saber o meu destino, para onde me levam os meus caminhos. Acima de tudo quero saber, agora, se vale a pena caminhar.
  Talvez isto seja toda a verdade, talvez não faça sentido algum, mas quem não quer uma mão segura que ajude a não vacilar na caminhada?
  Do cimo de mim sento-me e contemplo. Muita escuridão me rodeia e não vejo a estrada. Sinto-me tentada a ficar por aqui mais um pouco. Falta a força para enfrentar a escuridão. O coração de guerreira bate sem compasso e não encontra garra para avançar.
  Hoje deito-me em mim e fico. Talvez um dia seja por ti e para ti o sossego da minha mente e a calma na minha alma...



segunda-feira, 4 de maio de 2015

4 meses de orgulhoso serviço ao Mestre

      Era uma noite especial, 4 meses de encoleiramento. Estou tão orgulhosa de ter chegado aqui J. Adoro a submissa que está a nascer, é uma mulher bonita, confiante, sensual e que deixa o seu amado Dono feliz.
  O Dono pediu que levasse uma roupa especial. Queria realizar a sua fantasia de ter uma menina do colégio. E eu estava ansiosa por descobrir o que tinha preparado para mim.
  Depois de muitos miminhos e da sessão fotográfica o Dono mandou que me fosse vestir. Coloquei toda a roupa a rigor e coloquei os dois totós, estava mesmo fofinha. Apresentei-me e o Dono sorriu, estava agradado. Mandou que me colocasse em posição de encoleiramento e colocou-me a coleira com que me fez sua naquela noite 4 meses antes. Ordenou então que me levantasse e me sentasse no seu colo. Perguntou se me andava a portar bem na escola e eu disse que sim (mentira, sou uma menina muito malandra). O Mestre sabia que não, tinha 2 negativas e ele perguntou se estava empenhada em subir as minhas notas. Como uma boa menina disse que me ia esforçar. Ordenou então que me colocasse de quatro na cama, levantou a minha saia e começou a bater-me com o flogger. Não podia imaginar maneira mais prazerosa de subir a minha nota. Chegou então perto do meu ouvido e disse que já tinha um 3 e penetrou-me. Foi tão intenso que não me controlei e vim-me sem autorização. Por ter sido uma menina má voltei ao 2 e ao spanking. Esforcei-me, fui uma menina bem comportada e não reclamei. O Mestre deu-me um 5 e depois penetrou-me deliciosamente uma e outra vez até eu suplicar. Como fui uma boa menina o Mestre deixou que me viesse e derreti-me em volta dele.
  Satisfeita a sua fantasia ordenou que me despisse deixando só as meias (que o Mestre adora) e a tanga. Pedi autorização para falar e perguntei ao Mestre se podia trocar de lingerie (tinha uma surpresa). O Mestre perguntou “É mais puta que esta?” eu sorri e respondi “sim Mestre”, “Então vai” disse ele sorrindo também. Como eu adoro ser a putinha do Senhor J. Quando regressei com a nova lingerie o Mestre aguardava-me com nova cena preparada (amou a lingerie ;) ). Ordenou que me sentasse na cama com os braços atrás das costas e amarrou-me. Depois ordenou que me deitasse, algemou os meus tornozelos um ao outro e prendeu as minhas pernas com um cinto. Estava completamente imóvel e indefesa, mas sabia que não ficaria por ali. Antes de me vendar mostrou-me uma lâmina e nada disse. Começou então a passar a lâmina pelo meu corpo, sentia que era muito afiada, um deslize e seria corte na certa. Mas estava tranquila, tudo aquilo fazia-me sentir excitada e não tinha medo algum. O Mestre disse-me então que ia deixar a sua marca. Não tive receio ao sentir o DO a ser desenhado na minha pele. O meu corpo e alma pertencem-lhe, sei que sou o seu bem mais precioso e nada abalaria a minha confiança e entrega. Perguntou se queria ver a sua marca e eu disse que sim. Na pele nada mais havia que a lembrança do deslizar da lâmina e o amor do acto. Desamarrou então os meus braços e beijou as minhas lindas marcas.
  Depois, ainda com pés e pernas presos usou a nossa técnica preferida, “Beija-me como se me amasses, fode-me como se me odiasses”, e a menina perdeu a conta aos orgasmos que não paravam. Por fim o Mestre retirou-me a coleira e mimou-me nos seus braços enquanto eu tremia com as réplicas do prazer.
  Ainda não falei do “Beija-me como se me amasses, fode-me como se me odiasses” dizem vocês? Não quero que nada vos falte, prometo voltar com pormenores ;)

  Obrigada amado Dono por mais uma noite de prazer ao seu lado. Obrigada por me ter escolhido para o servir. Obrigado por me deixar ser sua, a sua pequenina, a sua putinha, a sua menina.


  Sempre e para sempre <3










domingo, 3 de maio de 2015

Sessão fotográfica 1

  Antes de iniciar a sessão planeada, e já que tinha com ele dois grandes amores, o Dono resolveu fazer uma sessão fotográfica.

  Acho que ficaram lindas e espero que gostem tanto como eu :)

  Sempre e para sempre <3